sexta-feira, 12 de dezembro de 2014

#ChegouDoCorreio : John Green e Jojo Moyes

Oi, pessoal! Como vocês estão? Desculpa a demora pra postar aqui no blog, últimas semanas de aula foram corridas e preparação pra formatura. Mas estou de volta pra comentar dois livros que comprei na famosa Black Friday, um do John e outro da Jojo. Vou deixar a sinopse dos livros aqui e futuramente vou fazer resenha dos dois (prometo! haha)

 John Green : Quem é você, Alasca? 


Sinopse:

"Miles Halter é um adolescente fissurado por célebres últimas palavras - e está cansado de sua vidinha segura e sem graça em casa. Vai para uma nova escola à procura daquilo que o poeta François Rabelais, quando estava à beira da morte, chamou de o 'Grande Talvez'. Muita coisa o aguarda em Culver Creek, inclusive Alasca Young. Inteligente, engraçada, problemática e extremamente sensual, Alasca levará Miles para o seu labirinto e o catapultará em direção ao Grande Talvez." 

Então, galera! Há muuuito tempo eu queria comprar esse livro, pelo fato de que eu gostei muito de A Culpa é das Estrelas e Cidades de Papel, então, eu tenho quase certeza de que vou gostar desse também, sem contar que foi o primeiro romance do John e eu ouvi críticas muito boas sobre esse livro. Há cada resenha, comentário eu me interesso mais! Inclusive, será minha próxima leitura dessa semana <3 haha 

Jojo Moyes : Como eu Era Antes de Você







































Sinopse

"Aos 26 anos, Louisa Clark não tem muitas ambições. Ela mora com os pais, a irmã mãe solteira, o sobrinho pequeno e um avô que precisa de cuidados constantes desde que sofreu um derrame. Trabalha como garçonete num café, um emprego que não paga muito, mas ajuda nas despesas, e namora Patrick, um triatleta que não parece interessado nela. Não que ela se importe.
Quando o café fecha as portas, Lou é obrigada a procurar outro emprego. Sem muitas qualificações, consegue trabalho como cuidadora de um tetraplégico. Will Traynor, de 35 anos, é inteligente, rico e mal-humorado. Preso a uma cadeira de rodas depois de um acidente de moto, o antes ativo e esportivo Will desconta toda a sua amargura em quem estiver por perto. Tudo parece pequeno e sem graça para ele, que sabe exatamente como dar um fim a esse sentimento. O que Will não sabe é que Lou está prestes a trazer cor a sua vida. E nenhum dos dois desconfia de que irá mudar para sempre a história um do outro."


Esse livro eu conheci através de uma resenha de um blog e foi paixão à primeira vista! Por enquanto eu ainda não tenho uma opinião formada sobre ele, mas tenho certeza que não é mais um romance clichê de todas as pessoas que eu já conversei que já leram esse livro, adoraram! Espero gostar também! 

E você, já leu algum deles? Está ansiosa pros filmes que vão lançar? Deixa sua opinião ai! =D
Um beijo e até a próxima!!

Ana.

domingo, 16 de novembro de 2014

E aí A Seleção deixou de ser trilogia, pra alegria dos fãs!

Oi pessoal! Alguns sabem, outros não, que A Seleção não será mais trilogia (ouço gritos de alegria) mas eu não esperava que fosse tudo tão rápido, por que já disponibilizaram a capa e é...



MARAVILHOSA! 

Sinopse original: 

“Twenty years ago, America Singer entered the Selection and won Prince Maxon’s heart. Now the time has come for Princess Eadlyn to hold a Selection of her own. Eadlyn doesn’t expect her Selection to be anything like her parents’ fairy-tale love story. But as the competition begins, she may discover that finding her own happily ever after isn’t as impossible as she always thought.” 

Tradução: 

"Há vinte anos atrás, America Singer entrou na Seleção e ganhou o coração do Príncipe Maxon. Agora, chegou a hora da Princesa Eadlyn ter sua própria Seleção. Eadlyn não espera que a sua Seleção seja uma história de amor digna de contos de fadas como a de seus pais. Porém, assim que a competição começa, ela descobre que encontrar o seu 'Felizes para Sempre' pode não ser tão impossível como ela imaginava."

Eu fiquei encantada com a capa (se você leu A Seleção tem 90% de chance de você ter comprado ele pela capa, assume, vai!) O legal é que a Kiera continuou com o simples: uma menina no centro, com um vestido maravilhoso, sendo que dessa vez é a filha da América (dá pra imaginar com quem né?)

Esses são os outros livros:


OK, agora é só rezarmos pra que ela decida fazer os filmes também! haha

Gostou da novidade? Já leu todos os livros da A Seleção? Gostou mais de qual? Fala ai nos comentários =) Ótimo domingo!

Beijos,
Ana


domingo, 26 de outubro de 2014

Hoje Eu Quero Voltar Sozinho - filme pra refletir...

Olá, pessoal! Eu já até me esqueci de qual foi a última vez que eu fiz o post sobre esse filme. Lembro que foi antes de ele lançar no cinema, e eu tinha prometido a "resenha" e não fiz! Tá, depois de tanto tempo eu vou falar desse filme.

Na verdade, na época (acho que foi Abril) eu não vi no cinema e eu vi hoje, agora, acabei de ver e eu resolvi falar. Bom. Era o que eu esperava, bom, até mais, mas antes de falar a minha opinião eu vou falar sobre o que é o filme.



O filme conta a história do Leonardo. Ele é um garoto cego que sonha em viver um grande amor. Ele depende de sua amiga Giovana pra voltar pra casa e vive sendo controlado pelos pais. Ele é muito zoado pelos colegas da escola, pelo fato de ele ser cego e por nunca ter beijado ninguém. Até que um dia o Gabriel entra na escola, e por obra do destino, ele senta atrás do Leonardo. Eles ficam amigos (incluindo a Gi) mas com o tempo ela vai percebendo que a amizade deles está crescendo e ela está sendo excluída, eles brigam e param de se falar. Depois de um tempo, o Gabriel e o Leonardo se conhecem mais, e o Leo vai descobrindo o que é o amor. O que é ficar sem graça perto de uma pessoa. O primeiro beijo roubado. Depois a Giovana entende (mesmo com ciúmes) e o Leo fala que está apaixonado pelo Gabriel, e o Gabriel também. 

Uma das cenas muito lindas é quando o Gabriel fala que está gostando dele, e os dois se beijam e depois se abraçam, é puro e uma cena tão simples.


Na verdade não tem muito o que explicar do filme. Não tem cenas bombásticas ou frases de efeito. É muito simples mas é muito grande pros dias de hoje! Por que você vê um filme assim e você sonha que o futuro SEJA COMO É NO FILME. Por que ele aborda um assunto que hoje em dia tem muita gente que não tolera e ainda tem muito preconceito, mas no filme não existe isso, ou não focaram nisso. Tem uma hora que o Leo, o Gabriel e a Gi estão indo pra casa e alguns garotos perguntam se o namoro já era sério (e algo assim) eles olham pra trás e o Leo pega na mão do Gabriel e continuam andando, dando a entender que sim. E é algo muito inocente, e é por esse motivo que torna o filme tão especial. Não tem atos preconceituosos. Eu gostaria que tivesse outro filme com continuação, porque o filme termina entrando um novo garoto na escola, e fica aquele ar de "o que será que vai acontecer? será que ele vai ficar com a Giovana?" Infelizmente demorei muito tempo pra ver esse filme, porque ele é muito bom, é muito lindo! 

Como eu, você que viu e vai ver tem sua opinião sobre esse assunto, o homossexualismo. Mas antes de qualquer coisa, o filme de forma alguma vai dar motivos pra qualquer pessoa ser a favor, na verdade ele não dá motivos a nada. (sério gente, eles agem normalmente e isso é lindo, pelo simples fato de SER normal.) então não evite ver o filme achando q vai te fazer gay por que não vai. Ou por que vai ter cenas fortes por que não tem. Eu estou recomendando pra todos que ainda não viram, por que o mundo seria tão mais fácil se fosse igual a esse filme. 

E sim, fica mesmo aquela pergunta se querem focar mais no assunto fazendo outro filme, isso teremos de esperar! haha

Não vamos esquecer que a trilha sonora do filme é linda! E a música do Gabriel e do Leo (a música principal) é linda! Eu recomendo a banda (pra quem gosta de Indie) e ouvir essa música pensando em uma pessoa especial!

Banda: Belle & Sebastian 

Música: There's Too Much Love




Você viu? gostou? deixe ai nos comentários! 
Um boa semana pra vocês, não deixem de ver esse filme maravilhoso,
um super beijo! 
E até a próxima <3


Notícia para os fãs do filme...
Para a alegria de todos: Hoje Eu Quero Voltar Sozinho foi indicado ao Oscar 2015, não é o máximo? Estamos na torcida que ele ganhe e mais ainda que seja reconhecido mundo a fora, vale a pena ;) 



segunda-feira, 6 de outubro de 2014

Resenha - Um Dia (David Nicholls)

Oi oi, pessoal! Há exatamente dois meses atrás eu comprei o livro "Um Dia" do David Nicholls, mas acabei deixando de lado pra ler outros livros, e acabei não conseguindo mais acompanhar o livro. Agora pouco terminei de ver o filme, pra ver se me dava mais coragem pra terminar de ler, e olha... me deu muito mais que isso!

Aaah, antes de começar a resenha, quero dizer que o blog Contos de Duas Doidas agora é parceiro do blog Construindo Estante e My Stories and Wonderful Books. Eu sou muito apaixonada por esses dois blogs, e fiquei muito contente de poder dizer que as minhas duas primeiras parcerias foram com eles! haha eu recomendo que você acesse os blogs (o banner está aqui no blog mesmo) e dá uma olhada nas resenhas, você não vai se arrepender!


O livro conta a história de Emma e Dexter, dois jovens recém- formados e que vivem suas vidas, tem planos totalmente diferentes um do outro. Eles se "conhecem" e resolvem passar a noite juntos, e dali em diante decidem ser amigos, mas ambos sabem que sentem muito mais do que carinho um pelo outro, porém não admitem. 

Mas nem sempre a vida age como a gente quer, nem sempre os planos dão certo e com eles não foi diferente. Dex queria ser famoso e se divertir mas acabou pagando caro, jogando sua carreira no lixo. Emma sempre sonhou em ser professora e escritora, se formou pra isso, mas depois de tantos anos, e de tanto trabalhar em algo que ela não imaginou pra ela, consegue realizar esse sonho. 

Eles não imaginam que passariam por tantas situações, tantas coisas juntos, e realmente, cresceriam juntos. 

 A história se passa entre duas décadas, mas não é contada a cada dia do ano exatamente. O que mais chama atenção é que a história deles é contada em um único dia do ano. No mesmo dia. Desde que se conheceram. Cá entre nós, como não admirar o David depois dessa? haha 

Mas nem sempre nesse mesmo dia eles se reencontravam, pelo contrário, mostrava como era a vida deles naquele momento, naquele ano, naquele dia. E nos mostra como as coisas podem mudar. Menos o sentimento. 

E mesmo depois de tantas brigas, de tanto dormir juntos, eles percebem que mesmo se tomarem caminhos diferentes eles vão se reencontrar. Dex perdeu a mãe, se casou, teve uma filha, se separou e foi atrás de Emma, que por sua vez, escreveu um livro, se mudou e estava feliz por que tinha encontrado um cara e gostava dele, mas nunca havia esquecido Dex, e no final, eles ficam juntos... mas não acaba aí...


Cuidado! (contém spoilerrrrr!)

Eu realmente não gosto de dar spoiler aos leitores (mas sou totalmente diferente, eu amo receber) mas depois de ver essa história magnífica e meio confusa você que leu e entendeu e quer entender de novo, você que não leu mais quer spoiler, enfim, eu vou explicar! 

Para alegria dos fãs, Emma e Dexter ficam juntos sim. Eles têm uma vida normal. A filha de Dex adora a Emma, eles são felizes e eles querem ter filhos. Mas com o tempo passando a Emma não consegue engravidar e isso vai esfriando um pouco a relação, até que ele propõe que eles jantem juntos pra não ficar aquele clima estranho e ela se convence de que vai ser bom não pensar tanto nesse problema. Ela manda uma mensagem de voz dizendo que ele é especial, que o ama, e se desculpando por ter sido chata. Ela está a caminho de casa (indo de bicicleta) quando acidentalmente um ônibus atinge ela, e ela morre... 

A história termina com ele imaginando eles se conhecendo e andando em uma montanha, há vinte anos atrás, antes de tudo. E ai ele imagina ele e a filha dele subindo a mesma montanha, no presente, depois do acidente, depois de tudo. E termina com eles dois a vinte anos atrás, se despedindo e falando que ainda iriam se reencontrar. 

Minha opinião...

Eu sou eternamente grata ao David Nicholls por ter feito uma história tão magnífica. Eu não imaginava que teria um final assim, e pela primeira vez, eu não quis que tivesse outro. Sério. A forma como ele contou é maravilhosa e o que nos ensina. A vida é muito imprevisível. Por mais que você planeje tudo nem sempre ocorre como você planejou. E isso não é triste, pois outras coisas boas podem acontecer, que você nem chegou a imaginar, a vida realmente é uma caixinha de surpresas e nem sempre tem final feliz. 

O livro tem tudo pra virar um clássico moderno e ser lembrando muitos e muitos anos. Depois de ACEDE, nenhum filme/ livro havia me feito chorar tanto a ponto de querer parar de ver/ler. Por que quando você fica diante de uma história como essa você automaticamente se põe no lugar do personagem e se pergunta "Por que logo eu fui perder a pessoa que tanto amo?", "Por que nada na minha vida dá certo?" E então quando você termina, percebe que ao longo dos anos tudo vai mudando e que não necessariamente o que é hoje vai permanecer daqui a vinte anos. Seja um amor, amizade, uma carreira, etc. E que sim, é possível amar alguém tempo suficiente para que se torne "eterno". E o amor de Dexter e Emma é assim... 

Eles não são mais um casal que você esquece no próximo livro que você lê. Acho que quando os personagens mexem com você, a ponto de vocês se colocarem no lugar deles, o livro, a história se torna especial e inesquecível. Eu recomendo e não tenho vergonha de ter chorado com o filme. David transformou essa história que é uma ficção em algo que se pararmos pra pensar pode acontecer com qualquer um de nós. E é por isso que se tornou uma das minhas preferidas.

Termino essa resenha, muito emocionada, novamente, e feliz, por ter passado essa experiência de ter visto esse filme maravilhoso, de estar prestes a terminar o livro e com o dever de recomendar a vocês também! 

Trailer do filme...

 

A MARAVILHOSA Anne Hathaway no papel de Emma e Jim Sturgess no papel de Dex. Vale a pena ver o filme e de preferência, com uma caixinha de lenço do lado, porque amigo(a), vai ser difícil, viu?! 



Espero que tenham gostado da resenha, se você já leu e viu o filme, fale aí nos comentários!
Um super beijo, 
e até a próxima! Boa noite.



" A amizade entre os dois era como um buquê de flores murchas que Emma insistia em regar.
 Porque não deixar morrer? Era tão irrealista desejar que uma amizade durasse para sempre."
(p. 189)







terça-feira, 16 de setembro de 2014

Mas aí o John resolveu revelar no meio da semana, né...

Oi oi pessoal! O título do post tá diferente dos outros (mais formais... ou não, né.) por que é uma verdade, tanto dia ai pra revelar, tanto fim de semana, e logo no meio da semana o John fala quem vai fazer a personagem da Margo em Cidades de Papel... E eu me senti na obrigação de fazer um post =) mas eu tava sem tempo, mas já estou aqui então...

PRIMEIRO!
Você ai, que é fã, que não é, e tem aqueles que são iguais a mim, aquelas pessoas que se matariam por qualquer personagem do livro e ama como sua própria vidaaa (brincadeira >.<) Não, não é '-'

Você pensou (EU SEI!) em 3 atrizes que PODERIAM e você tinha QUASE certeza que uma delas faria a Margo, e essas três são:

Alexandra Daddario




Ela tem a determinação da Margo







Rachel McAdams
     



Já imaginou ela com o Quentin (Nat) nos momentos fofos?















Megan Fox

Ela seria sexy, igualzinha a Margo é #GostadeProvocar




Maaaaaaas, depois de tantas "supostas Margos" finalmente está escolhido quem vai fazer essa personagem incrível do John!

                                                 Cara Delevingne

Eu confesso que eu nunca tinha pensado nela! 
O John publicou no seu Twitter que a Cara tinha feito o teste e ele super aprovou e ainda tem mais detalhes! 
Estão comentando que o filme será lançado JULHO DE 2015 nos EUA, já é um bom sinal! Agora é só falarem quando será que vai lançar o filme aqui no Brasil. *-* 

Então pra você que estava acostumado com a Cara nas passarelas agora verá no próximo filme do John! Gostou? Pensou mesmo nela? Fala ai nos comentários! 

Um super beijo e boa noite! =D 

Ana.

quinta-feira, 11 de setembro de 2014

As Vantagens de Ser Invisível (Livro) + Se Eu Ficar (Filme) = Quinta -Feira emocionante!

Oi, leitores! Tudo bom? Em plena Quinta fui no cinema ver Se Eu Ficar, e como prometido vim falar sobre o filme aqui com vocês. Ir no shopping e não levar nada da Saraiva não é coisa de leitor obcecado, não é? haha por isso, depois de MUITO TEMPO, eu resolvi comprar As Vantagens de Ser Invisível. Sério, eu nunca nem vi o filme (espero que seja bom, se você já leu, fala ai nos comentários!)


Pra você que ainda não sabe, a história é sobre a vida da talentosa musicista Mia, que tem uma vida, digamos, normal Ela tem seu namorado, seus pais e seu irmão, sua amiga Kim, e está prestes a realizar um sonho: entrar pra Julliard e se tornar uma violoncentista de sucesso. Até que em um dia normal, ela sobre um acidente de carro com a família. Ela perde os pais, e no hospital seu irmão também não resiste. E então, ela tem 24 horas para decidir se quer ficar ou se vai desistir de tudo. O final é surpreendente, gente! 

A atriz que faz a Mia é Chloe Grace Moretz 


Eu achei que ela interpretou muito bem a personagem, sem falar que ela tem a maior química com Jamie Blackley, que fez o Adam (owwwwwn!!)


Jamie Blackley está com tudo no filme! E... ai, ele é perfeito, não tem muito o que falar não, só admirar! hahahaha

E não vamos esquecer de Mireille Enos e Joshua Leonard que fizeram (e arrasaram) como os pais malucos da Mia, por que, cá entre nós... quem não queria os pais da Mia? Eles são legais, roqueiros, e SUPER ENGRAÇADOS! <3 I LOVE! 

Minha opinião sobre o filme...
Eu amei, chorei, ri bastante, e mais uma vez eu falo que você aprende muita coisa com esse filme. Você sai do cinema querendo aproveitar a vida ao máximo! Um dos pontos fortes da história é a paixão pela música. Por qualquer instrumento e por qualquer estilo musical. Se você ama música, você vai amar ainda mais. Tem uma playlist muito linda no filme, que o Adam canta, vale a pena procurar! E como eu estava prevendo eu me emocionei na parte em que o avô dela vai conversar com ela. Eu quero, de coração, parabenizar a autora desse livro, a linda Gayle Forman, que conseguiu da maneira certa tocar nos corações de cada um que leu o livro, principalmente daqueles que por um simples problema já desiste, e a história mostra que a vida não é assim. Ela não é feita só de problemas. Por que, por mais que você sofra vai ter sempre aquele alguém que te ama, que quer te ajudar, que não vai deixar você desistir. Os sonhos estão aí pra serem realizados, e que a melhor coisa é seguir em frente, aconteça o que acontecer. E sem falar do amor né, gente? aaaah o amor! Quem ama é capaz de tudo. Até prometer coisas e fazer escolhas pela pessoa que ama, mostra direitinho isso no filme.

Eu estou muuuuito ansiosa pra ler Para Onde Ela Foi, é a maravilhosa continuação do livro, sendo que no ponto de vista do Adam. Eu tô com medo de falar sobre o livro e a maioria ainda não leu e não viu o filme, então eu vou fazer um post separado, depois, falando sobre. 

Então, é isso gente. Eu recomendo que leiam e depois vejam o filme. Se preparem para chorar muuuito! E se preparem para sair do cinema vendo a vida com outros olhos. 


Já leu? Já viu o filme? Fala aí nos comentários! 
Um super beijo, 
e até a próxima! 

Ana. 

  • "Isso sempre fazia Kim rir.  'As pessoas acreditam no que querem acreditar.' ela disse."
  • "As vezes você faz escolhas na vida e as vezes as escolhas fazem você. Isso faz sentido?"
  • "Vovô e eu ouvimos música clássica e noticiários no rádio quando podíamos escolher uma estação. Fora isso, ficamos em silêncio. Mas era um silêncio tão calmo; me fez relaxar e me sentir mais próxima dele do que qualquer conversa teria feito." 






quinta-feira, 4 de setembro de 2014

Se Eu Ficar - Gayle Forman

Boa noite, leitores! Estou um tempo sumida (lendo alguns livros e me atualizando) e trago pra vocês hoje a resenha (FINALMENTE!) do livro Se Eu Ficar da maravilhosa Gayle Forman.

Sinopse: 


" Em uma manhã de fevereiro, Mia sai para um passeio de carro. E, em um instante, tudo muda. Toas as escolhas se perderam, menos uma. A única que realmente importa. 
Se Eu Ficar é um conto belíssimo sobre a força do amor, o verdadeiro significado da família e as decisões que todos nós precisamos tomar." 


O livro conta a incrível história da jovem Mia, de dezessete anos que sente que esse mundo não pertence a ela. Sua paixão é a música clássica e seu amante da vida é o seu violoncelo. Seus pais, diferentes dela, gostam de um bom Rock (até seu irmão Teddy) e seu namorado (irresistível) Adam, um roqueiro, que tem uma banda de punk chamada Shooting Star. Mia não era muito de ter amigos e só tinha uma amiga na qual confiava e amava, a Kim. A vida dela era normal. Tinha pais legais, um namorado perfeito... até que um dia passeando com os pais, de carro, aconteceu um acidente. Pela primeira vez, Mia se sente realmente sozinha. Vendo os pais mortos, com a única esperança de salvar seu irmão, até que ela mesma se surpreende ao ver seu corpo no chão, e se dá conta de que não está dentro do próprio corpo, ou seja, ela pode ver tudo. Ela se vê sendo levada ao hospital, ao levarem os pais dela. Vê os seus avós fazendo de tudo para verem ela. Sua amiga. Seus tios, primos... Mas na hora, a única pessoa que ela queria ver era Adam. 

Ela não sabia como continuar. Não sabia nem o porque estava acontecendo aquilo. Aquela segunda chance, porque, seus pais morreram na hora, não tiveram tempo de escolher, e se tivessem, escolheriam não morrer, e essa é a grande decisão que tem que tomar. Ficar com o seu namorado, Adam, e seus avós, sua amiga, lutar para realizar seu sonho de se uma violocentista de sucesso ou simplesmente se deixar levar. Apagar tudo da memória. 

No livro tem partes muito emocionantes, mas apenas duas são ao mesmo tempo triste e emocionantes. A visita do avó de Mia quando ela está na UTI e a visita do namorado dela. Ambos, pedem que ela tome a decisão que achar melhor (Graças a enfermeira, que disse que só Mia poderá decidir entre ficar e partir. Só ela pode decidir acordar do coma. Aparelho, médico, cirurgia nenhuma ajudará ela acordar.) E ela fica dividida. 

O livro se passa em 24 horas, e ao longo do livro a Mia vai se vendo no hospital e vai tendo flashbacks de como sua vida era antes do acidente. Da sua briga com Kim quando eram crianças. Das histórias dos seus pais. Da sua ótima relação com Teddy. De quando conheceu Adam. Do seu futuro com ele, caso ela decidisse mesmo ir para Julliard e eles tivessem que se separar. 

Na segunda vez que Adam a visita no quarto, e tem uma "conversa" sincera com ela, Mia toma a decisão mais dolorosa da sua vida. Que deixaram marcas para sempre. Ou nela, ou em outros, e só naquele momento ela entende que "Às vezes, você faz escolhas na vida, e às vezes, a escolha faz você."

Minha Opinião... 
Eu acabei de ler o livro e estou com a sensação de quero mais!!! Eu descobri o livro através do Skoob e me apaixonei pela história. Não por ter relação a música (que eu amo) mais por ser um romance muito puro, um livro simples mais com uma aprendizagem muito grande. Você com certeza não termina de ler esse livro não aprendendo nada. Eu fiquei completamente apaixonada pela Mia e o Adam, não tem como não torcer por eles! Desde a primeira página você já sabe que vai ser um livro "pesado" que vai fazer você se colocar no lugar da personagem principal, e se perguntar "E se fosse comigo? E se eu perdesse tudo de uma hora pra outra?" Porque, vamos admitir, todos tem um pouco de medo da morte e de como ela é. Ainda mais se você tivesse opção de escolher entre ficar e partir. Então, Se Eu Ficar ensina um pouco mesmo, coloca na nossa cabeça que a qualquer momento tudo pode mudar. E não deixar nada pra amanhã, ou semana que vem. Ele é o típico livro que faz você ler com lencinhos do lado, porque não é fácil encarar as páginas e o sofrimento da Mia, não é fácil mesmo. E tem uma frase bem pequena mais muito forte no livro que é "Viva Para Amar", que tem a ver um pouco com a escolha da Mia (EU TO ME MORDENDO PRA NÃO CONTAR O FINAL PRA VOCÊSSSSSS) Resumindo, eu gostei muito, fiquei completamente apaixonada pela história, virei fã mesmo, e hoje é um dia feliz porque hoje lançou o filme nos cinemas (YEAAAAAHHHHH) Eu recomendo, de verdade, que leiam antes de ver o filme e se você já leu não perca mais tempo e vai no cinema! Sem contar que foi um grande sucesso na bienal do livro de São Paulo! E pras fãs do livro, que leram e acham que vai terminar assim, quero dizer-lhes que não vai, por que tem a continuação que é Para Onde Ela Foi que é contado pelo ponto de vista do Adam (o namorado dela) mas ainda não chegou aqui no Brasil.

Se você é de São Paulo e foi na bienal, fale ai nos comentários como foi e os livros que comprou! ;D

Trailer do filme: 



Eu sei que você chorou só de ver o trailer, assim como eu. *-* hahahaha












Por hoje é isso. Se você já leu o livro deixa ai nos comentários, se você ainda não leu fale ai também. Diga se gostou ou não gostou, e o próximo post será sobre o filme, que provavelmente verei esse fim de semana. Falarei como foi a adaptação, os personagens e outras coisas. Espero que tenham gostado, um SUPEEER BEIJO e até a próxima! 

Ana.









segunda-feira, 14 de julho de 2014

Leandro Soriano, autor de "O Grande Livro das Pessoas sem Nome" e "Vida".

Oiii, pessoas! Leitores queridos! Quanto tempo, não é? Depois de tantas cobranças pra posts novos, aqui estou eu, novamente! haha hoje eu vou falar do autor dos livros (muito interessantes por sinal) "O Grande Livro das Pessoas sem Nome" e "Vida", pra completar tem uma entrevista super interessante em que ele fala a partir de quantos anos ele decidiu escrever livros até qual livro preferido dele, no momento.

O Grande Livro das Pessoas sem Nome.

Sinopse:

Pessoas sem nome caminhando pelas ruas.
Pessoas sem nome se arrastando pelo chão.
Quem é essa mulher gorda sem amigos?
O Louco que corre a procura de sua razão?
Esse homem de terno que dorme com os mendigos.
Homem de de surrada túnica marrom,
falando palavras sem sentido?
Esse garoto obcecado por um amuleto
que espreme em sua mão?
Quem é esse homem tocando um piano invisível,
morrendo de saudades por sua nação?

Quem é você?
Quem é você?

Seja bem-vindo a um novo mundo!
Seja bem-vindo ao grande mundo das pessoas sem nome!

Vida 

Sinopse: 

Imagine um mundo onde a biotecnologia está em seu ápice. Onde é comum ter robôs que se assemelham a seres biológicos, substituindo os cachorros como animais preferidos de estimação. Recriar membros amputados é algo simples, e feito com tal perfeição que se torna difícil diferenciar a prótese do membro original. Neste mundo de infinitas possibilidades, Luíza sofre um acidente com o seu marido, Rodrigo. Ele entra em coma. Luíza deve aceitar a perda do marido?


Gostaram? Se vocês, assim como eu querem conhecer mais essas obras acessem o site: http://www.leandromarcolino.com.br/ lá você, blogueiro, pode ver outras entrevistas do autor e ler os livros online (OLHA A ALEGRIA! Eeeeeeh) 

Vamos a entrevista! 

 É formado em Ciências da Computação na Universidade Federal de Minas Gerais. Atualmente vive em Los Angeles e é aluno de doutorado em Ciência da Computação na University of Southern California.

Nome completo: Leandro Sorianos Marcolino

1) A partir de que idade você decidiu que queria escrever livros?
Desde muito cedo, eu devia ter uns 10 anos. Eu sempre adorei ler, e um dia vi na feira do livro da minha escola um aluno vendendo um livro que ele mesmo escreveu. Como este aluno era apenas um ou dois anos mais velho, eu pude me conectar com aquilo, de certa forma, e me passou a sensação de que eu, também, poderia escrever um livro. Assim, escrevi minha primeira história ao longo de um ano, e a vendi na feira do livro seguinte. O livro se chamava: "Os Caça-Vampiros: Uma História Mirabolante"... hehe

2) Se inspirou em alguém? Escritor ou escritora?
Acho que todo escritor que eu leio me afeta de alguma forma, principalmente os que eu admiro. Bem, talvez os que eu não admiro também me afetem, me ensinando como não escrever... hehe Enfim, eu gosto muito de Clarice Lispector, James Joyce, José Saramago... Em geral, gosto de livros que não são óbvios, que inovem em algum sentido, que provoquem o leitor ou o proporcione uma experiência diferente. Enfim, que sejam arte, o que quer que signifique ser arte... hehe

3) Quem leu seus primeiros contos e qual é a sensação de terminar um livro e perceber que dali em diante, muitas pessoas o leriam?
Você quer dizer os primeiros contos de "O Grande Livro das Pessoas sem Nome"? Eu mostrei o primeiro conto para meus pais e amigos próximos. Mas depois disso acabei segurando um pouco, e só mostrei para outras pessoas quando já tinha um rascunho inteiro completo. Recebi comentários dos meus pais, e dos meus amigos do Vale Literário (www.valeliterario.com.br), um grupo de literatura do qual participo.

A sensação de terminar um livro e torná-lo disponível para leitura é um pouco assustadora. É difícil definir quando uma obra está realmente "pronta", e meu sentimento em relação à qualidade da obra é sempre uma montanha russa... hehe Seria fácil ficar revisando um livro eternamente, e simplesmente nunca publicá-lo. Mas acho que chega um momento em que a gente tem que enfrentar um pouco o medo e deixar a cara à tapa. Até mesmo para ficar "livre" para começar um novo projeto...

4) Qual o seu conto preferido? Por que?
Em "O Grande Livro das Pessoas sem Nome", o meu conto preferido é o último, "Sociedade". Reconheço, porém, que ele é um pouco árido, e é o que a maior parte dos leitores não vai gostar. Fiquei um bom tempo até mesmo em um dilema, sem saber se incluía ele no livro ou não. Mas eu simplesmente não conseguia aceitar o livro sem o último conto.

Ele é o meu preferido porque ele é muito diferente do que eu costumo ver. O "Sociedade" está mais para um poema do que para um conto, e é uma espécie de retrato da psique humana, uma espécie de explosão de sentimento. Enfim, não quero falar demais porque a interpretação deve ser livre para cada leitor, mas se você ler o livro vai perceber que o "Sociedade" é, definitivamente, um conto muito diferente dos demais. 

5) Demorou quanto tempo pra fazer o livro Vida?
Acho que demorou quase dois anos. A escrita não é minha atividade principal, então é sempre um desafio conseguir arrumar tempo. Estava fazendo graduação em Ciência da Computação na época, e é um curso muito pesado. Mas fui escrevendo, na base de uma hora por dia, e "de repente" o livro estava pronto!.. hehe Espero que isso sirva de exemplo e inspiração para os leitores do blog, acredito que todos nós que temos vontade podemos escrever, é só arrumar um tempinho todos os dias...

6) Qual a mensagem que você quer passar através do livro Vida?
Hmmm... Eu não acredito que uma obra literária deve passar uma mensagem, acho que uma obra deve passar uma pergunta. Cabe ao leitor encontrar a resposta que quiser, ou mesmo não encontrar resposta alguma. Em Vida, acho que a pergunta principal seria "O que é a Vida"?


7) Qual o seu gênero literário favorito?
Meu gênero preferido é a ausência de um gênero, se é que isso é possível... hehe Eu gosto de livros que inovam, que desafiam o leitor, que propõe algo novo, que provocam... Acho que isso é algo que meus escritores preferidos, que listei anteriormente, fazem muito bem. 

8) O que você pensa sobre os jovens (brasileiros) que hoje se apegam mais a literatura estrangeira, como por exemplo livros dos autores: John Green, Nicholas Sparks, Rick Riordan e etc. e esquecendo ou nem mesmo conhecendo as nossas grandes obras da literatura portuguesa?
Eu acho ótimo!.. hehe Quero dizer, em um país onde a média anual de leitura gira em torno de um livro, e a maior parte dos jovens só se interessam em ver televisão, jogar video game ou navegar nas redes sociais, os jovens que chegam ao ponto de se *apegarem* a um livro qualquer já estão indo muito bem!.. :) Mas eu pediria a eles para experimentarem um pouco mais, para buscarem coisas novas, diferentes. O Brasil é um país muito rico, o povo brasileiro é muito criativo, e muito talentoso. É uma pena perder esta riqueza toda, ainda mais por terem o privilégio de falar o português brasileiro como língua mãe.


9) Qual dica você gostaria de dar aos jovens que querem começar a escrever livros?
Vou revelar aqui o segredo fundamental da escrita. A dica mais importante, a mais essencial, que afetará profundamente estes jovens. Preste atenção. Se você quer começar a escrever livros, você tem que conhecer esta dica essencial. O grande segredo é: escreva. Sim, escreva. Hoje, agora, neste momento. Há muitos motivos para não escrever. Há muitos medos que desestimulam a escrita. Há muitas razões para adiar. Mas se você quer escrever livros, tem que superar todos os motivos, todos os medos, todas as razões, e começar a escrever hoje. Escreva agora. Escreva todos os dias. Não precisa parar de estudar, não precisa sair do emprego, não precisa terminar com o namorado(a). Basta arrumar um tempinho, um tempinho que seja, todos os dias, e escrever. Não espere a inspiração chegar. Fique parado uma hora olhando para o teclado se for preciso. Mas esteja lá. Esteja lá para escrever, um tempinho todos os dias.

10) Pra finalizar, qual seu livro preferido?
Esta é a pergunta mais difícil desta entrevista... hehe Talvez "Água-Viva", da Clarice Lispector? Talvez "Retrato de um Artista Quando Jovem", do James Joyce? Talvez "O Evangelho Segundo Jesus Cristo", do Saramago?..

Ou talvez... Ou talvez o meu livro preferido não exista. Talvez meu livro preferido seja aquela ideia de livro que tenho em minha mente, o livro ideal que nunca virá a existir, e que eu luto e luto e luto para tentar criá-lo a cada página que escrevo, mas que jamais irei conseguir atingir... 

E ai, gostaram? Bom, eu confesso que fiquei completamente louca por alguns contos (apesar de não ter lido todos por falta de tempo, né...) Bom, eu quero indicar o conto "Desejo" (do livro O Grande Livro das Pessoas sem Nome), foi o que eu mais gostei e fiquei tipo "awwwn, meu deus" no final... uma trecho do conto: 
 " -Você sabe que não é assim tão simples.
- Pouco me importa se é simples ou não. Me importo somente com o meu desejo.
- Um pensamento meio egoísta, não?
- É egoísmo querer ser feliz?
- É egoísmo dar maior importância a sua felicidade do que à felicidade alheia." 

Espero que tenham gostado desse post, voltarei ao normal, com toda semana fazendo posts novos. Semana que vem, terá resenha do livro "A Seleção" e sobre a lindíssima Kiera Cass que vai vir pro Brasil para a Bienal do Livro em São Paulo. ( e eu em depressão por que sou do RJ, okaaay...)

Um super beijo, e até a próxima! =D
Ana.





sábado, 28 de junho de 2014

Calma John, é muita noticia boa pra um ano só...

oi oi, gentee! Vim trazer uma ótima notícia para os fãs de John Green (como eu). Você amou ACEDE? Como eu você está quase arrancando os cabelos de tanta ansiedade pra ver Cidades de Papel? Então se prepara pra mais uma adaptação do livro do John... QUEM É VOCÊ, ALASCA?


"Tão animado por anunciar que a brilhante cineasta Sarah Polley irá escrever e dirigir a adaptação de "Quem é você, Alasca?"

Fofo né?! 
Pra quem não conhece a história, vou deixar a sinopse do livro aqui em baixo! 

"Miles Halter é um adolescente fissurado por célebres últimas palavras que, cansado de sua vidinha pacata e sem graça em casa, vai estudar em um colégio interno à procura daquilo que o poeta François Rabelais, quando estava à beira da morte, chamou de o "Grande Talvez". Muita coisa o guarda em Culver Creek, inclusive Alasca Young, uma garota inteligente, espirituosa, problemática e extremamente sensual, que o levará para o seu labirinto e o catapultará em direção ao "Grande Talvez"


E ai? O que achou? É fã do livro? Deixe aí nos comentários! 
Espero que o John acompanhe as gravações como fez com ACEDE pra não deixar nada passar em branco e ser fiel ao livro =) 

Um Super beijo, 
e até a próxima!!


domingo, 22 de junho de 2014

Músicas Que Me Inspiram...

Leitores que tanto amo... 
Tudo bem com vocês? Que belo domingo, não é? Bem agitado e tudo mais... pra não falar ao contrário! hahaha

No post de hoje eu vou mostrar a minha playlist a vocês, a playlist que eu sempre ouço quando faço um post novo. Mas sempre vou trocando uma e outra.
Você blogueira ou blogueiro, também gosta de fazer seus posts ouvindo música? Deixe aí nos coments... 


Mas, nada melhor do que dar uma agitadinha no domingo ouvindo música! 

Vamos a minha playlist... 


Ela tem de tudo, claro, tudo que cabe dentro do que eu gosto. Os estilos que eu gosto: Folk, Rock, Indie, e um pouco de pop. As vezes fica faltando um estilo ou outro, mas é normal. Uma mania minha é na minha playlist só ter 5 músicas (por que 5 é o meu número da sorte) ou seja, não consigo terminar um post no tempo de 5 músicas, então reinicio e por aí vai... Não consigo fazer uma playlist de um artista só. Normalmente, elas são compostas de músicas que mais estou ouvindo no momento, mas não é de vez em quando, é muito. haha quando cismo com uma música... vocês devem me entender! 
Pra mim não vale só músicas lentas com medo de me desconcentrar! Ela sempre vai de Lana Del Rey até Lady Gaga. De The Beatles até System Of a Down. 


1# Lana Del Rey - Dark Paradise


2# OneRepublic - Counting Stars 


3# Engenheiros do Hawaii - Pra Ser Sincero


4# Snow Patrol - Set Fire to The Third Bar 


5# Evanescence - Imaginary 


Bom gente, essa foi a minha playlist. Se aqui tem alguma música que vocês conhecem ou gostem, deixe aí nos comentários! Se ficou interessado de fazer esse post, mostrando aos seus leitores o que gostam de ouvir quando estão fazendo os posts, eu recomendo! 

O próximo post vai sair na Sexta, 
e será sobre o nosso queridíssimo Nicholas Sparks, a sua história e os seus livros e o seu próximo filme (adaptação do livro O Melhor de Mim) 

Tchau, leitores, tenham um belo sábado, 
uma ótima semana (de férias ainda né.. hehehe) 
e fiquem atentos ao próximo post! 

Beijo!
E até a próxima :) 

Ana.










sexta-feira, 13 de junho de 2014

A Culpa é das Estrelas + Livros que comprei essa semana + Fanfic= Post combo!

Oi, leitores queridos! Bom, pra surpresa de vocês (será mesmo surpresa?) eu fui novamente ver ACEDE, sei lá, por necessidade, eu não sei explicar. Tenho algumas coisas pra falar. Comprei 2 livros essa semana vou falar deles com vocês (ainda não li, no momento estou lendo Harry Potter) e por fim, algumas pessoas muito próximas de mim, me convenceram em fazer uma fanfic (vocês já fizeram? de qual filme/série/música?) e é isso! haha

Bom, os dois livros que eu comprei essa semana foram:


 A Seleção: Para trinta e cinco garotas, a “Seleção” é a chance de uma vida. Num futuro em que os Estados Unidos deram lugar ao Estado Americano da China e mais recentemente a Illéa, um país jovem com uma sociedade dividida em castas, a competição que reúne moças de dezesseis e vinte anos de todas as partes para decidir quem se casará com o príncipe é a oportunidade de escapar de uma realidade imposta a elas ainda no berço. É a chance de ser alçada de um mundo de possibilidades reduzidas para um mundo de vestidos deslumbrantes e joias valiosas. De morar em um palácio, conquistar o coração do belo príncipe Maxon e um dia ser a rainha.
Para America Singer, no entanto, uma artista da casta Cinco, estar entre as Selecionadas é um pesadelo. Significa deixar para trás Aspen, o rapaz que realmente ama e que está uma casta abaixo dela. Significa abandonar sua família e seu lar para entrar em uma disputa ferrenha por uma coroa que ela não quer. E viver em um palácio sob a ameaça constante de ataques rebeldes.
Então America conhece pessoalmente o príncipe. Bondoso, educado, engraçado e muito, muito charmoso, Maxon não é nada do que se poderia esperar. Eles formam uma aliança, e, aos poucos, America começa a refletir sobre tudo o que tinha planejado para si mesma — e percebe que a vida com que sempre sonhou talvez não seja nada comparada ao futuro que ela nunca tinha ousado imaginar.

Já leram? Gostaram? Sem spoilers =3 


E o outro é....

Uma Carta de Amor: Há três anos, a colunista Theresa Osborne se divorciou do marido após ter sido traída por ele. Desde então, não acredita no amor e não se envolveu seriamente com ninguém. Convencida pela chefe de que precisa de um tempo para si, resolve passar férias em Cape Cod. Durante a semana de folga, depois de terminar sua corrida matinal na praia, Theresa encontra uma garrafa arrolhada com uma folha de papel enrolada dentro. 
Ao abri-la, descobre uma mensagem que começa assim: “Minha adorada Catherine, sinto a sua falta, querida, como sempre, mas hoje está sendo especialmente difícil porque o oceano tem cantado para mim, e a canção é a da nossa vida juntos.” 
Comovida pelo texto apaixonado, Theresa decide encontrar seu misterioso autor, que assina apenas “Garrett”. Após uma incansável busca, durante a qual descobre novas cartas que mexem cada vez mais com seus sentimentos, Theresa vai procurá-lo em uma cidade litorânea da Carolina do Norte. Quando o conhece, ela descobre que há três anos Garrett chora por seu amor perdido, mas também percebe que ele pode estar pronto para se entregar a uma nova história. E, para sua própria surpresa, ela também. 
Unidos pelo acaso, Theresa e Garrett estão prestes a viver uma história comovente que reflete nossa profunda esperança de encontrar alguém e sermos felizes para sempre.

Já leram? Gostaram? Sem spoilers =3 

A Seleção me chamou muita atenção, até porque tenho amigas que já leram e dizem que é muito bom! E Uma Carta de Amor a muuuuuito eu queria comprar e só agora tive essa chance de achar e tals! Sou muito fã de Nicholas Sparks e tudo mais <3 Em breve, assim que eu acabar terá resenha dos dois aqui! 

A Culpa é das Estrelas...

Vi novamente o filme e chorei como se fosse a primeira vez e fiquei abalada emocionalmente como se fosse a primeira vez também. E quando eu sai do cinema eu fiquei refletindo sobre o cara que dá medo em qualquer garoto que chega perto de mim, é forte, é durão, também chorou no filme, E NÃO FOI POUCO NÃO, GENTE! O meu pai chorou muito no filme. haha eu achei tão lindo. Seria chato se eu dissesse o que eu achei de novo do filme? acho que seria né? hahahaha mas... eu estou sem palavras... E olha que eu já aguentei muita coisa hein? Querido John, Um Amor para Recordar, Cidades de Papel, mas nada comparado a isso! Muitas pessoas me falam que se eu sai assim do cinema, imagina quando eu for ver Cidades de Papel. Quando eu terminei aquela resenha do filme eu achei que tinha ido longe demais. Pra mim eu aguardaria aquilo comigo. Mas como agora, eu escrevi sem pensar, aliás, sim, eu pensei, mas no que eu realmente estava sentindo. Cada mensagem que eu recebi foi tão linda. Espero estar passando novamente esse sentimento pra vocês e vice-versa. Acho que nem em um vídeo daria pra perceber o que eu estou sentindo. Eu confirmo que, cada pessoa que saiu daquele cinema, com os olhos inchados, com as pernas bambas estava com uma confusão de sentimentos. Por que no filme como no livro ele faz várias vezes você chorar e várias vezes rir. Perdi a conta de quantas vezes Augustus Waters falou algo engraçado em quanto eu via a Hazel chorar, e você chora junto. E eu estou chorando agora, por que essa história, essa história do autor chamado JOHN GREEN, me fez querer VIVER INTENSAMENTE CADA MINUTO DA MINHA VIDA. E não, eu não fui a única. Como eu já disse cada história nos ensina uma coisa. Querido John me ensinou o que é verdadeiramente o amor. Quando você ama você quer que essa pessoa seja feliz mesmo que isso custe a sua felicidade. Cidades de Papel me ensinou que mesmo você amando muito uma pessoa nunca vai conhece-la inteiramente, nunca. E que não, não é fácil coloca-la num pedestal e depois descobrir que não era nada do que você imaginou. A Menina que Roubava Livros me ensinou o que é amizade. Se arriscar por um amigo é a forma mais linda de dizer que ama. E que sim, você nunca está desacompanhado, a morte está ai, do seu lado. "Para Sempre", quando se ama de verdade, nem o destino separa. Por que é muito fácil você perceber e entender que perdeu alguém sem se quer lutar pra tê-la de volta. Difícil é você correr atrás. Enfrentar as brigas, encarar de frente o problema. Lembre-se: primeiro a chuva, depois o arco-íris. Poderia citar tantos e tantos outros, mas por fim. A Culpa é das Estrelas, não. O John Green me ensinou á viver intensamente. Á querer ter um infinito com outra pessoa por menor que seja. Me ensinou que disfarçar a dor não resolve, ela precisa ser sentida. Ele me ensinou que o amor entre duas pessoas não é só lindo quando ficam muito tempo juntos, até ficarem velhinhos. Ele é bonito quando ele é verdadeiro. Quando ele não é esquecido. Ele me convenceu querer conhecer um Augustus Waters na minha vida. E por fim, só porque está lendo uma história linda, não necessariamente terá o final feliz, o final que você quer ou até mesmo um final. Ela pode terminar em uma frase. Como a Ana. Como a Hazel. Um Aflição Imperial é A Culpa é das Estrelas. A Culpa é das Estrelas é Uma Aflição Imperial. A Hazel é a Ana. A Ana é a Hazel. Não sabemos o que aconteceu com a mãe da Ana, e nem com o resto dos personagens. Não sabem o que aconteceu com a Hazel, com o pai dela, se a mãe dela terminou o curso ou não. Se o Isaac voltou a namorar ou não. Isso é uma das coisas fantásticas do John porque ele soube colocar direitinho essa comparação de um jeitinho que muitos ainda não entenderam! E mais! Não, os personagens não são reais, a história não é real. E não necessariamente o livro tem que ter um final feliz. Um final explicativo. Com detalhes. TÍPICO DE JOHN GREEN, NÃO É MESMO?! hahahaha O que pensar disso depois que já se viu o filme 2 vezes, não tem como. Você se importa sim, você sente saudade sim e você queria outro final. Outra coisa que eu queria falar é que, dia desses eu estava no facebook e me deparei com uma página "Cantadas do Rick" e eu vi um post sobre ACEDE e na legenda o adm/cdc (eu não sei) falava "A Culpa é das Estrelas: O filme das meninas mal comidas" eu não sei explicar o que eu senti na hora, de verdade, sabe... E os comentários mais estúpido do que o outro. E como eu citei na minha página, muitos não gostam do livro nem do filme. Cada um com o seu gosto e fim. Mas você chegar a falar que tal obra magnífica é um filme de tal coisa, é apelar demais. Ou até mesmo, ser ignorante demais. Por que se você tem só um pouquinho de respeito e se você conhece pelo menos 1/3 de literatura, seja ela brasileira, estrangeira, enfim, você não falaria isso. Se você já tivesse PELO MENOS lido um livro na vida você não falaria isso, como falaram dessa maneira do filme. É ignorância demais. Então se vocês, como eu, se depararam com isso ou por obra do destino se lerem isso em qualquer outro lugar, a melhor coisa a fazer é dar graças a Deus que você não pensa do mesmo modo que essa pessoa. 

Bom, como eu disse, muitas pessoas se emocionaram com o que eu escrevi na outra resenha do filme, e se emocionaram, chegando até a chorar com o que eu acabei de falar pra vocês (não cada palavra, mas o que eu disse pra vocês agora eu disse mais cedo pras minhas amigas) e como eu sou muito fã e muito SENTIMENTAL kkkkkk conseguiria escrever uma fanfic. Muitas pessoas não entendem esse negócio de história terminada em uma frase ou sem final pros personagens, então, eu resolvi criar uma fanfic dando uma pequena continuação da história, e depois no final falar sobre a história toda em si, as teorias, as frases brilhantes e seus significados e claro, sobre o John Green. Então, antecipadamente aviso que essa não será a última vez que falarei de ACEDE aqui no blog, e também não falarei em todos os posts que eu fizer. Eu como fã, sou muito apegada as histórias que eu amo e acabo colocando-as no meu dia a dia. Então, é pra sempre <3 haha 

A fanfic não ficará pronta amanhã ou semana que vem. Vai demorar, porque 3 ideias você não consegue fazer um final fantástico, mas eu espero que vocês gostem e tentarei não fazer um final tão sentimental (será que tem como?)

Por último, quero falar uma coisa que em voz alta eu convenço a mim mesma, e sempre digo isso quando alguém termina de ler ACEDE: Augustus Waters me ensinou da maneira mais linda que o mundo não é uma fábrica de realização de desejos. Não adianta você imaginar como teria sido se o Gus não morresse ou se o Isaac voltasse a enxergar ou se a Hazel por um milagre se curasse totalmente do câncer. A vida não é um milagre. Mas também nada acontece por acaso. Então, caro leitor se você se atormenta com isso, pare. Por que a história, como já falei inúmeras vezes não é sobre a morte não, é sobre a vida. E como a vida pode ser justa e injusta ao mesmo tempo com você. Nesse exato momento alguém pode estar na mesa de cirurgia ou esperando o resultado de um exame, mesmo sabendo que o médico deu pistas e sim, está com câncer. Neste exato momento também pode ter alguém indo dormir feliz por que amanhã ou depois pode ser sua última quimioterapia, e seus cabelos estão crescendo, olha que engraçado! Antes de raspar ele era liso agora é meio encaracolado. Mas também tem aquela menina que não para de pensar no garoto novo que entrou no grupo de apoio de crianças e Adolescentes. Não só isso. Uma hora dessas alguém pode ter saído da UTI e ter deixado o seu amado ou amada com mais esperanças, tudo voltará ao normal. Essa é a vida meu caro. Feita de altos e baixos. A vida é engraçada e triste. Enquanto uns enfrentam problemas outros estão felizes. Mas como nem tudo são flores... pra você, tem certeza que ACEDE não lhe ensinou nada? Está preparado pra enfrentar o que a vida vai te mostrar e fazer você enfrentar de qualquer jeito?! 


 Eu *-*




Acho que acabei explicando um pouco mais o por que de eu dizer que esse livro e esse filme são um dos meus preferidos. Pense nisso. 

Boa noite,
até a próxima 
beijo! 

E novamente, desculpem não estar com a mesma empolgação de sempre. 
Ana. 

sábado, 7 de junho de 2014

A Culpa é das Estrelas - filme

oooi, leitores! Bom, eu vi A Culpa é das Estrelas e senti a necessidade de vir falar do filme com vocês.


eu tirei essa foto quando eu estava quase entrando no cinema... 

Não vou falar sobre o livro, porque vocês já estão cansados de saber a sinopse, que o Gus morre, que a história não tem exatamente um final e que a culpa não necessariamente é das estrelas. Mas é. A culpa é da vida, é da morte, é do destino, é do John, é desse mundo! Essa história não é a história de um adolescente apaixonado que morre e deixa a sua namorada com câncer sozinha, ou do cara que foi largado pela namorada por que iria ficar cego. Essa história é sobre a vida. Sobre a dor de ter que encarar a morte te perseguindo e a dor de perder alguém que ama muito. É a vida, gente! É a história de dois adolescentes que vão morrer? a história de duas pessoas doentes? Não. É a história de duas pessoas que apesar de estarem doentes se apaixonam um pelo outro, e descobrem o que faltava em si mesmo. 

Não me envergonho de ter chorado quando eles se conheceram, ao invés de ter rido igual as outras pessoas da sala. Também não me arrependo de ter chorado quando eles se beijaram na casa da Anne Frank enquanto outros aplaudiram. Muitas vezes eu colocava a mão na cabeça e dizia "não aguento mais ver", é muito triste, é muito doloroso. A todo momento não via Augustus Waters como um simples adolescente quase morrendo. Eu via nele o cara que eu queria conhecer um dia, pessoalmente, com toda a força e vontade de viver que ele tinha. Aliás, que ele tem. 

A Culpa é das Estrelas vai além de fotos, de frases brilhantes e status do tipo "eu leio livros, eu amo ACEDE". Ele vai muito além, no meu caso claro. Dói saber que ele será esquecido quando sair do cinema ou quando outro filme lançar. Ele é o tipo de filme que é pra ser lembrado pra sempre. Mas não, não comparo ele com os outros. A cada livro que eu leio eu aprendo uma coisa. Com cada personagem, com cada autor, e com esse foi especial e diferente. Não ouso compará-lo a outro.

Eu sempre choro em filmes, isso é inevitável. Mas esse foi diferente, com certeza. Não me escondi, não enxuguei as lágrimas, sofri com a Hazel e o Gus, solucei, chorei alto, chorei horrores, eu senti a dor deles, a dor do filme, afinal, "esse é o problema da dor, ela precisa ser sentida".

Aprendi a amar esse filme, essa história, isso já tem muito tempo. Eu aprendi a ver as coisas de um outro modo e amar a vida, sempre.

Não quero dizer que apenas gostei, por que foi além disso. Aprendi muita coisa com o John e frases que eu vou lembrar pra sempre. Cheguei em casa, pensativa, apenas pensando o que eu iria escrever nessa resenha. Foi difícil levantar da cadeira e ir embora. Eu queria mais. Grande Markus Suzak! Ele disse que iriamos querer mais! Mas não foi uma despedida. Nunca será eu acho. Porque quando a história mexe com a gente, desse mesmo modo que mexeu comigo, ela será sempre lembrada, sempre um ponto de referência.

Não poderiam ter escolhido outra pessoa pra fazer a Hazel e outra pessoa pra fazer o Gus. Shailene e Ansel fizeram os papéis como deveriam ser feitos. Imaginei eles exatamente assim. Com essa simplicidade. 

Continuo com o mesmo sonho de conhecer John Green e falar sobre os seus romances brilhantes. Como a Margo me ensinou que ninguém é igual a ninguém, mas que também, não somos totalmente diferentes. Me ensinou a ser realmente quem somos. Quentin me ensinou a ir em busca do meu amor, não importa aonde ele estiver, vá! Hazel me ensinou a ter força e a correr atrás do que você quer. Quer saber o final do livro que você ama? Vá na casa do escritor, se ele for um Peter da vida mande ele pro inferno e siga em frente. O Gus me ensinou a deixar marcas nessa vida. A não querer ser esquecida. A levar a vida com humor, e sempre, nas horas mais difíceis, dar valor a quem está com você. E que não, a vida não é uma fábrica de realização de desejos. 

Antes da estréia do filme eu abri meu coração com algumas amigas e eu fui convencida de que quanto mais você se apaixona pela história, mais você fica perto dela. Quando você tem uma camisa, ou posters você está convivendo com aquilo, e isso é bom. Aprendi isso em uma conversa sobre Divergente e acabou em A Culpa é das Estrelas. hahaha :3 

Quando cheguei em casa, algumas amigas ao saberem que eu fui ver ACEDE me fizeram algumas perguntas que só agora eu parei pra refletir. Primeiro, elas me perguntaram se eu chorei mais com o livro ou com o filme. Segundo: qual foi a minha reação quando começou. Terceira: a minha parte preferida. Quarta: o que eu senti quando o filme acabou. Quinta: o que eu tenho pra dizer. 

Com certeza eu chorei mais com o filme. Pior do que ler uma coisa triste é ver uma cena triste. Quando começou meu coração foi parar na boca e ai eu pensei "sim, eu vou sofrer com cada cena". Minha parte preferida foi quando eles estão no restaurante e o Gus faz a declaração pra ela. Uma meia hora do filme eu fiquei na ponta da cadeira, inclinada pra frente, prestando a maior atenção, ninguém mais estava do meu lado, eu estava em outro lugar, e quando ele terminou de fazer a declaração eu simplesmente desabei na cadeira, e claro, em lágrimas. Comecei a sentir saudades. Era uma confusão de sentimentos. Quando ela disse "Okay" eu disse junto e era como se eu estivesse sofrendo por ela. 
O que eu tenho pra dizer é que como eu falei, não me arrependo de ter chorado, até a minha mãe e minha amiga que estavam comigo estranharam, acho que chorei tanto porque eu sabia que iria ser assim. Eu já sabia de cada cena. É muito difícil explicar. Coisa de fã. 
Eu recomendo, de verdade!

Me desculpem se isso não foi exatamente uma resenha, eu só queria desabafar mesmo. Eu recomendo muito que vocês vejam esse filme, e lamento não estar tão animada como nos outros posts. Ainda estou abalada com o filme (acho que muitos fãs né?) e acho que por um tempo vai ser assim. Fiquei muito satisfeita com os personagens, com o filme que foi muito fiel ao livro e fico contente de ter no mundo um cara chamado John Green, que nasceu pra me ensinar coisas da vida e me apresentar a história que eu posso dizer "uma das minhas preferidas, com certeza." 

Bom, ficarei esperando o filme sair em DVD pra ver novamente, e espero ansiosa por Cidades de Papel (que também acabará com o meu psicológico hahahaha) 

Espero que vocês não se cansem de ler toda essa resenha (mais ou menos né?) e é isso. É isso que eu acho dessa história maravilhosa. Todo o meu sentimento em palavras. Acho que nunca mais vou conseguir expressar o que eu senti vendo o filme e lendo esse livro como eu me expressei agora. Termino essa resenha chorando ( de novo) ouvindo What You Wanted do OneRepublic (a música do trailer) que sempre me fará lembrar! 

Se você viu, deixa ai nos comentários. Se ainda vai ver, fale ai também. 
Um super beijo, 
e até a próxima =) 

Ana.