sábado, 7 de junho de 2014

A Culpa é das Estrelas - filme

oooi, leitores! Bom, eu vi A Culpa é das Estrelas e senti a necessidade de vir falar do filme com vocês.


eu tirei essa foto quando eu estava quase entrando no cinema... 

Não vou falar sobre o livro, porque vocês já estão cansados de saber a sinopse, que o Gus morre, que a história não tem exatamente um final e que a culpa não necessariamente é das estrelas. Mas é. A culpa é da vida, é da morte, é do destino, é do John, é desse mundo! Essa história não é a história de um adolescente apaixonado que morre e deixa a sua namorada com câncer sozinha, ou do cara que foi largado pela namorada por que iria ficar cego. Essa história é sobre a vida. Sobre a dor de ter que encarar a morte te perseguindo e a dor de perder alguém que ama muito. É a vida, gente! É a história de dois adolescentes que vão morrer? a história de duas pessoas doentes? Não. É a história de duas pessoas que apesar de estarem doentes se apaixonam um pelo outro, e descobrem o que faltava em si mesmo. 

Não me envergonho de ter chorado quando eles se conheceram, ao invés de ter rido igual as outras pessoas da sala. Também não me arrependo de ter chorado quando eles se beijaram na casa da Anne Frank enquanto outros aplaudiram. Muitas vezes eu colocava a mão na cabeça e dizia "não aguento mais ver", é muito triste, é muito doloroso. A todo momento não via Augustus Waters como um simples adolescente quase morrendo. Eu via nele o cara que eu queria conhecer um dia, pessoalmente, com toda a força e vontade de viver que ele tinha. Aliás, que ele tem. 

A Culpa é das Estrelas vai além de fotos, de frases brilhantes e status do tipo "eu leio livros, eu amo ACEDE". Ele vai muito além, no meu caso claro. Dói saber que ele será esquecido quando sair do cinema ou quando outro filme lançar. Ele é o tipo de filme que é pra ser lembrado pra sempre. Mas não, não comparo ele com os outros. A cada livro que eu leio eu aprendo uma coisa. Com cada personagem, com cada autor, e com esse foi especial e diferente. Não ouso compará-lo a outro.

Eu sempre choro em filmes, isso é inevitável. Mas esse foi diferente, com certeza. Não me escondi, não enxuguei as lágrimas, sofri com a Hazel e o Gus, solucei, chorei alto, chorei horrores, eu senti a dor deles, a dor do filme, afinal, "esse é o problema da dor, ela precisa ser sentida".

Aprendi a amar esse filme, essa história, isso já tem muito tempo. Eu aprendi a ver as coisas de um outro modo e amar a vida, sempre.

Não quero dizer que apenas gostei, por que foi além disso. Aprendi muita coisa com o John e frases que eu vou lembrar pra sempre. Cheguei em casa, pensativa, apenas pensando o que eu iria escrever nessa resenha. Foi difícil levantar da cadeira e ir embora. Eu queria mais. Grande Markus Suzak! Ele disse que iriamos querer mais! Mas não foi uma despedida. Nunca será eu acho. Porque quando a história mexe com a gente, desse mesmo modo que mexeu comigo, ela será sempre lembrada, sempre um ponto de referência.

Não poderiam ter escolhido outra pessoa pra fazer a Hazel e outra pessoa pra fazer o Gus. Shailene e Ansel fizeram os papéis como deveriam ser feitos. Imaginei eles exatamente assim. Com essa simplicidade. 

Continuo com o mesmo sonho de conhecer John Green e falar sobre os seus romances brilhantes. Como a Margo me ensinou que ninguém é igual a ninguém, mas que também, não somos totalmente diferentes. Me ensinou a ser realmente quem somos. Quentin me ensinou a ir em busca do meu amor, não importa aonde ele estiver, vá! Hazel me ensinou a ter força e a correr atrás do que você quer. Quer saber o final do livro que você ama? Vá na casa do escritor, se ele for um Peter da vida mande ele pro inferno e siga em frente. O Gus me ensinou a deixar marcas nessa vida. A não querer ser esquecida. A levar a vida com humor, e sempre, nas horas mais difíceis, dar valor a quem está com você. E que não, a vida não é uma fábrica de realização de desejos. 

Antes da estréia do filme eu abri meu coração com algumas amigas e eu fui convencida de que quanto mais você se apaixona pela história, mais você fica perto dela. Quando você tem uma camisa, ou posters você está convivendo com aquilo, e isso é bom. Aprendi isso em uma conversa sobre Divergente e acabou em A Culpa é das Estrelas. hahaha :3 

Quando cheguei em casa, algumas amigas ao saberem que eu fui ver ACEDE me fizeram algumas perguntas que só agora eu parei pra refletir. Primeiro, elas me perguntaram se eu chorei mais com o livro ou com o filme. Segundo: qual foi a minha reação quando começou. Terceira: a minha parte preferida. Quarta: o que eu senti quando o filme acabou. Quinta: o que eu tenho pra dizer. 

Com certeza eu chorei mais com o filme. Pior do que ler uma coisa triste é ver uma cena triste. Quando começou meu coração foi parar na boca e ai eu pensei "sim, eu vou sofrer com cada cena". Minha parte preferida foi quando eles estão no restaurante e o Gus faz a declaração pra ela. Uma meia hora do filme eu fiquei na ponta da cadeira, inclinada pra frente, prestando a maior atenção, ninguém mais estava do meu lado, eu estava em outro lugar, e quando ele terminou de fazer a declaração eu simplesmente desabei na cadeira, e claro, em lágrimas. Comecei a sentir saudades. Era uma confusão de sentimentos. Quando ela disse "Okay" eu disse junto e era como se eu estivesse sofrendo por ela. 
O que eu tenho pra dizer é que como eu falei, não me arrependo de ter chorado, até a minha mãe e minha amiga que estavam comigo estranharam, acho que chorei tanto porque eu sabia que iria ser assim. Eu já sabia de cada cena. É muito difícil explicar. Coisa de fã. 
Eu recomendo, de verdade!

Me desculpem se isso não foi exatamente uma resenha, eu só queria desabafar mesmo. Eu recomendo muito que vocês vejam esse filme, e lamento não estar tão animada como nos outros posts. Ainda estou abalada com o filme (acho que muitos fãs né?) e acho que por um tempo vai ser assim. Fiquei muito satisfeita com os personagens, com o filme que foi muito fiel ao livro e fico contente de ter no mundo um cara chamado John Green, que nasceu pra me ensinar coisas da vida e me apresentar a história que eu posso dizer "uma das minhas preferidas, com certeza." 

Bom, ficarei esperando o filme sair em DVD pra ver novamente, e espero ansiosa por Cidades de Papel (que também acabará com o meu psicológico hahahaha) 

Espero que vocês não se cansem de ler toda essa resenha (mais ou menos né?) e é isso. É isso que eu acho dessa história maravilhosa. Todo o meu sentimento em palavras. Acho que nunca mais vou conseguir expressar o que eu senti vendo o filme e lendo esse livro como eu me expressei agora. Termino essa resenha chorando ( de novo) ouvindo What You Wanted do OneRepublic (a música do trailer) que sempre me fará lembrar! 

Se você viu, deixa ai nos comentários. Se ainda vai ver, fale ai também. 
Um super beijo, 
e até a próxima =) 

Ana.




31 comentários:

  1. Lindo o que você disse! Estou muito ansiosa para ver esse filme e acho que vou ficar como você. Quando terminei de ler o livro fiquei tão abalada e pensativa. Definitivamente é uma história para nos fazer pensar sobre a vida, e eu adoro histórias assim.
    Beijos

    http://coisasdebelaa.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Também gosto tanto de livros assim, sabe?! Que ensinam coisas que levaremos pra sempre..

      Excluir
  2. Eu amo o livro e ja sei que vou chorar muito! é uma historia que me faz pensar que não importa o tanto você ame algo ou alguém,infelizmente não pode durar para sempre; o máximo que podemos fazer é aproveitar a felicidade e o amor daquele momento,fazendo durar o maior tempo possível T-T so many feels
    Adorei o post Ana,beijos (っ˘з(˘⌣˘ )
    http://imemoriavel.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Adorei o que você disse, Dany! Lindo demais, mas é uma verdade... nada dura pra sempre, isso é fato.

      Excluir
  3. O Gus morre '----------' Perdi a vontade de ler o livro ou ver o filme depois que descobri esse triste spoiller no facebook rsrs mas quem sabe ne??Todo mundo fala bem,quem sabe dou uma chance..Parabéns pelo post e sucesso :3

    Beijos

    http://cantinhodatitania.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Lu, eu recomendo que veja, é muito lindo e todos veem problema na morte do Gus mas isso ensina muito sobre a vida, ensina pra Hazel e acaba ensinando pra nós também.

      Excluir
  4. Nossa que ''resenha'' perfeita !*----*
    Tá todo mundo falando de A culpa é das estralas mais é a primeira vez que encontro uma tão maravilhosa assim! A parte que você fala o que a´prendeu com os personagem e que cada um tem a ensinar, foi incrível, acho exatamente a mesma coisas, a sua opinião foi ,sem duvidas, diante de todas as outras a que eu mais gostei, e a que eu iria no cinema só pelo o que você falou... A culpa das estrelas não e só mais um filme , é bem mais que isso
    Parabéns amei *--*
    http://infinitoinesperado.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Obrigada, Daniii! Que bom que gostou, tentei ser muito sincera ao falar do livro e do filme. Foi diferente de tudo que eu já vi!

      Excluir
  5. Nossa eu ainda não vi o filme , já li o livro mais to meio sem coragem pra ver ,principalmente a parte que o Guns morre kkkkkk' , mais e muito bom mesmo , e adorei o post ^^

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Thay, tem que ter muita coragem mesmo! hahaha

      Excluir
  6. Oi Ana!!
    A adaptação está perfeita! Tão semelhante ao livro que fica difícil não completar algumas frases. Eu também chorei muito embora no livro só tenha chorado no final, mas como você ressaltou ver uma cena triste é bem diferente.

    Beijos
    Espero sua visita =)
    http://numrelicario.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Com certeza, Erika, é bem diferente você ler algo triste e ver com os seus próprios olhos.

      Excluir
  7. O filme foi perfeito!
    Amo suas resenhas sempre tão espontâneas e sinceras... Só posso dizer que senti o mesmo.
    Difícil não ficar falando quase todas as falas junto com eles né?

    Beijos

    Dani Cruz
    blog-emcomum.blogspot.com.br

    ResponderExcluir
  8. Oi, adorei sua resenha!

    Também acho que os atores foram perfeitos para os papeis, acho que ajudou muito o John ter se envolvido tanto, já que muitos autores simplesmente autorizam e não se envolvem. Ajudou a ficar mais fiel, né?

    Queria que tivessem falado da ex do Gus, queria que não tivessem deletado a cena da menina no shopping, queria ter visto a amiga da Hazel... enfim, coisas pequenas que senti falta....


    http://devaneiosestrelares.blogspot.com.br/2014/06/promocao-mes-dos-namorados.html

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Sim, detalhes fazem a diferença. Eu também queria ter visto a cena da menina no Shopping :c
      mas fora isso, foi perfeito!

      Excluir
  9. Olá =)
    Adorei a sua resenha.
    Acho que descreveu exatamente como você sentiu e deu para sentir seu sofrimento aqui desse lado da telinha rs.
    Ainda não vi o filme, mas o farei o quanto antes, acho que não consigo mais evitar.
    Parabéns pela resenha.
    Beijos,
    http://mileumdiasparaler.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Obrigada!
      Foi tão complicado escrever essa resenha, mas que bom que eu consegui demostrar de verdade pros leitores o que eu realmente senti, e nossa... eu fico muito feliz com isso! :')

      Excluir
  10. Apesar de não ter curtido tanto o livro, eu estou bem ansioso pra ver o filme.
    Espero que me surpreenda :)
    Abraços.

    ResponderExcluir
  11. Agora consegui comentar *-*
    Agora o blog abriu até diferente pra mim. Antes só abria até a metade da tela :)
    Todo mundo também chorou na minha sessão.
    Até meu irmão de 10 anos meio que deu uma chorada.
    Também quero o DVD ontem.
    Bem sua rese....seu desabafo ficou ótimo, hahaha.
    Adorei :)

    http://enquantoestavalendo.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Obrigada, Marcelo!!
      Todo ser humano que tenha um pouco de sensibilidade se emocionou nesse filme, é inevitável! haha

      Excluir
  12. esse filme e perfeito faz agente pensar na vida e tem dois dias q eu lembro do filme e começo a chorar

    ResponderExcluir
  13. Nossa,como eu adorei esse filme,e sua resenha também,hahahah
    Um beijo
    http://belaaleitora.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  14. Não tenho coragem de ler o livro, nem de assistir o filme. Sou muito chorona e covarde uhauahauha, adorei a resenha! Beijos :))
    http://prateleiraderascunhos.blogspot.com.br

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. É uma pena, Ceci! É realmente lindo, mas é bom evitar uma possível depressão! hahahaha

      Excluir
  15. Ana eu tbm amei o filme, por todos esses motivos q vc falou, e tbm espero pelo DVD pra assistir sem parar, rsrs.
    Espero que "Cidades de papel" fique tão bem feito qto ACEDE.
    Bjos!

    http://seiqueeusei.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir